Magret de Pato com Redução de Framboesas e Vinho do Porto

Magret de Pato com redução de Framboesas e vinho do Porto

Magret de Pato com redução de Framboesas e vinho do Porto

Eu sei, eu sei, eu sumi… Eu sou uma desnaturada…

Eu nem vou dar desculpas esfarrapadas porque né, o blog nunca ficou tanto tempo parado, não tem morte da bisavó pela quinta vez que justifique tamanha poeira nas teclas. Mas acreditem, eu não me esqueci daqui! Na verdade, passei apenas um período um tanto vagabundo, meio largada das panelas, fazendo o couscous marroquino pra me safar enquanto a inspiração não chegava… Mas como toda boa filha pródiga, eis-me aqui cheia de amor receitas pra dar.

Em minha defesa indefensável, eu comecei a trabalhar e durante os últimos dois meses o regime tem sido de 10 a 11 horas por dia. Ando morta feat. enterrada. Contudo, porém, todavia, entretanto, ultimamente meus horários estão voltando pouco a pouco ao ~normal~ e, com isso, voltarei a pensar em outra coisa que não seja minha fofa, macia e calorosa cama.

Para me redimir, trago hoje uma receitinha com cara de chique mas que é super fácil!

Magret de pato tem um nome chique, mas nada mais é do que o peito do pato. Passei no supermercado dia desses e, como se fossem pais no natal, estavam dando de presente umas promoções maravilhosas. Nessa, o kilo do pato estava por uma bagatela. Comprei o pato inteiro e cortei o peito, que resolvi fazer nesta receita magret. O resto do pato vai aparecendo por aqui aos poucos!

A ideia da redução de framboesas com vinho se deveu a outra maravilhosa promoção, que dava 50% de desconto nas bagas. Não é lindo quando o universo conspira a favor do seu bolso? #oremos

E ambas as receitas são nível sentar no pudim de facilidade. Olha que maravilha!

Ingredientes

Para o Magret:

  • 2 peitos de pato com pele
  • sal e pimenta do reino/preta a gosto

Para a Redução de Framboesas com Vinho do Porto

  • 2 col sopa manteiga
  • 1 cebola pequena picada em cubos bem pequenos
  • 120 ml de vinho do porto (ou qualquer vinho tinto)
  • 1 col sopa açúcar
  • pitada de pimenta branca
  • sal a gosto
  • 125 g framboesas frescas
  • 1 col sopa creme de balsâmico
  • folhas de tomilho frescas

PRE-PARA

O Magret:

  1. Faça cortes na pele do pato para que a gordura solte.
  2. Em uma frigideira fria, coloque os peitos do pato com a pele virada para baixo e ligue o fogo em temperatura média para alta. A gordura irá despreender da pele.
  3. Assim que a pele estiver bem dourada, vire o pato do outro lado. Para um pato ao ponto (como o meu) deixe por volta de 4 minutos. Para mal passado deixe 3 minutos e para bem passado deixe 6.
  4. Retire do fogo e espere 4 minutos. Depois deste tempo, corte a carne em pedaços.

A Redução:

  1. Em uma panela, coloque a cebola picada e a manteiga e ligue o fogo. Quando a cebola estiver dourada, acrescente o vinho e deixe reduzir pela metade.
  2. Neste momento, adicione os demais ingredientes e espere até que a framboesa se desfaça e a redução atinja a consistência desejada. Acerte o sal, ao final.
  3. Retire do fogo e disponha em cima do magret, já cortado.

Magret de Pato com redução de Framboesas e vinho do Porto

Farofa de Miúdos

Farofa de Miúdos

*Fotos ordinárias do celular/ telemóvel pois a correria era grande.

Eu sei que tem muita gente com horrô a miúdos de qualquer animal que se preze. Mas eu, bem, eu só não como dobradinha nessa minha vida.

Foi então que, com saudade de um coração, uma moela e um fígado de galinha, eu bati o pé que, nesse Natal, eu queria farofa de miúdos.

Pra quem nunca comeu, essa farofa fica super úmida e crocante. O segredo de uma boa farofa, pra mim, é torrar bem a farinha.

Aliás, por falar em farinha, eu gostaria de dizer que eu usei uma farinha paraense, a mais comum de ser encontrada no nordeste. No entanto vou contar uma coisa pra vocês: quem entende de farinha mesmo é o Acre. Não existe farinha mais gostosa que a de Cruzeiro do Sul!

Como não dá mais pra fazer pro Natal, que tal fazer a receita pro almoço de domingo? Bora pra primeira receita de 2014!

Ingredientes (pra muitos pedreiros)

  • 250 g de moela de galinha ou frango
  • 250 g de fígado de galinha ou frango
  • 250 g de coração de galinha ou frango
  • 1 kg de farinha
  • 1/2 xic óleo
  • 1/2 xíc de manteiga
  • 1 cebola grande picada
  • 3 dentes de alho
  • 1 1/2 tomate picado
  • sal e pimenta do reino a gosto

PRE-PARA!

  1. Limpe bem os miúdos. Separe-os. Em uma panela de pressão, cozinhe somente a moela em água e sal por 20 minutos depois que pegar pressão. Retire os miúdos e coza na mesma água (desta vez sem pressão) por 2 minutos o fígado e o coração. Corte tudo em dois pedaços (ou quatro, dependendo do tamanho) e reserve.
  2. Em uma panela, refogue cebola e alho em óleo. Quando a cebola estiver começando a ficar transparente, acrescente os miúdos e a manteiga e frite bem, por uns cinco minutos, até ficar tudo bem torradinho.
  3. Acrescente o tomate e a farinha e torre bem. Aí pode refogar durante uns 5 a 10 minutinhos, até que a farinha fique crocante.
  4. Acerte o sal e acrescente pimenta do reino.
  5. Eu gosto de colocar uma colher de sopa de manteiga no final, só pra ajudar a ficar molhadinha.
  6. Sirva bem quentinha.

Gente, já pensou essa farofa recheando um frango? Natal desse ano eu vou fazer isso e ai de quem não deixar, eu como tudo sozinha!

Farofa de Miúdos

Farofa de Miúdos

Frango Africano

Frango Africano

Eis que chega sexta-feira, essa lheeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeenda, que eu to amando mais do que nunca, uma vez que voltei a ser uma proletária que bate ponto.

Oh yeah, babe!

Oh yeah, babe!

Infelizmente minhas experiências gastronômicas estão mais escassas, agora ando fazendo qualquer coisa rapidamente, normalmente depois das 20h. E a luz da minha casa não favorece fotos noturnas nem um pouco. #chatiada

Inclusive ontem fiz um sandubão muito do seu gostoso, mas vou ter que fazer um repeteco pra poder postar, já que no momento ele se encontra em um local muito escuro e profundo, aka meu estômago.

E como se eu já não bastasse casa-trabalho-marido-mestrado-blog pra cuidar, ainda inventei uma aula de alemão duas vezes na semana HAHAHAHAHAHAHA Eu realmente não bato bem!

Mas né, a gente faz o que pode pra se organizar. Enquanto isso deixo vocês com uma receita que inicialmente ia ser thai mas virou africana! Whaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaattttttttttt?????

Calma que eu explico. Eu tava pensando em fazer um frango tailandês, picante, com leite de coco e coisital, mas sabe quando os ingredientes vão se juntando e tomando outro rumo??? Vai te dando vontade de acrescentar outros ingredientes não planejados porque o prato tá pedindo??? Quando vi, estava fazendo um prato inspired na culinária africana. E quer saber?? Fez a alegria do meu domingo!!!

Sabe comida com sustância? Comida de pedreiro, que te dá energia pra levantar muro durante uma tarde inteira? Pois é, essa receita é tipo isso. Sei nem como eu não tive pesadelos durante a noite, uma vez que jantei este prato…

Ingredientes (para duas pessoas)

  • 4 pernas inteiras de frango (4 coxas e 4 sobrecoxas)
  • 8 col sopa óleo (usei de soja)
  • 1 cebola inteira
  • 2 dentes de alho picados
  • 2 tomates picados
  • 1 col sopa concentrado de tomate
  • 5 quiabos
  • 1/6 col chá pimenta caiena (pq meu marido é café-com-leite pra pimenta, eu por mim teria colocado mais)
  • ½ col sopa curcuma (açafrão da terra)
  • ¼ col chá de paprica
  • 2 folhas de louro
  • Sal e pimenta do reino a gosto
  • ½ litro de caldo de galinha caseiro ou (1 tablete dissolvido em 500 ml de água)
  • Coentro para finalizar

PRE-PÁRA!

  1. Primeiramente frite o frango sem tempero no óleo. Quando estiver dourado em todos os lados, retire e reserve o frango e refogue alho e cebola no óleo que restou.
  2. Acrescente tomate e quiabos e refogue por 1 min. Volte o frango para a panela e acrescente o  concentrado de tomate, pimenta caiena, cúrcuma, páprica, pimenta do reino e louro. Refogue.
  3. Por último, acrescente o caldo de galinha. Deixe cozer por 30 min em fogo baixo e acerte sal ao final, caso necessário. Finalize com coentro picado.
  4. Sirva acompanhado de arroz branco (eu usei basmati, que tem um sabor muito neutro e é perfeito para comidas muito condimentadas, como este e o curry).

Frango Africano

Frango Africano

Frango Oriental

Frango OrientalVou criar pra essa receita a tag “é feio mas vale o post” hahahaha O bichinho é uma ~diliça~ mas confesso que não é lá muito fotogênico. :/

Bem, mais um jeitinho todo especial de fazer o frango nosso de cada dia.

Eu chamo essa receita de oriental porque ela tem um gostinho agridoce, parecido com aqueles de comida chinesa, sacomé? E também porque leva muitos ingredientes usados na culinária oriental MAS CALMA QUE VOCÊ ENCONTRA TUDO NO MERCADINHO DO BAIRRO.

Um acompanhamento mara para essa receita é o simples e puro arroz branco. Uma farofinha também vai muito bem #caboquinhafeelings

Quero deixar um adendo especial com relação a quantidades. Eu adoro pimenta (em PT picante) mas o meu marido não, então quando eu faço só pra mim eu aumento as quantidades, pois eu gosto e sei que aguento. A mesma coisa vale para o gengibre. Por isso, se você não curte muito essas combinações mais “abrasivas”, vai devagar e aumente as quantidades aos poucos, caso ache necessário. Como nesse dia eu cozinhei para mim e para minha mãe, AKA as taradas da pimenta, eu sabia que podia aproveitar e coloquei bastante. E olha que quando comemos nossa reação foi: “ih, nem ficou tão apimentado” (sente o drama)

Bora pra receita.

Ingredientes

  • 2 coxas e 2 sobrecoxas de frango
  • 2 col sopa de shoyo
  • 2 col sopa de molho inglês
  • 1/2 col sopa de açúcar mascavo
  • pitada de pimenta calabresa
  • pimenta do reino a gosto
  • 2 dentes de alho fatiados
  • folhas de 1 ramo de alecrim (em PT rosmaninho)
  • 1 pedaço pequeno de gengibre ralado do tamanho de um cubo de 1cm cúbico, aproximadamente

PRE-PÁRA!

  1. Em uma travessa que possa ir ao forno, misture todos os ingredientes e deixe marinando por duas horas na geladeira.
  2. Leve o frango ao forno ligado a 210º por 30 minutos coberto com papel alumínio.
  3. Após este tempo, retire o papel alumínio e deixe mais 15 minutos assando.
  4. Após este tempo, retire a travessa do forno, vire as partes do frango ao contrário (para assarem por igual) e retorne ao forno por mais 15 minutos.

Arrrmaria, esse caldinho do frango por cima da farofa do arroz é um atentado violento ao pudor!!!”

Frango Oriental

Frango Oriental

Ragù de Pato com Pappardelle

Ragù de Pato com Pappardelle

Senta que lá vem história.

Eu sempre quis fazer Ragù de Pato, mas nunca tinha tido a oportunidade. A culpa foi de um episódio de Sopranos, no qual eu vi o tal do ragù ser servido e quase morri de fome no dia. Não é fácil assistir programas/séries em que eles apresentam comida boa, sabiam?

Mas voltando ao assunto… eu sabia o princípio do ragù de pato, graças ao MasterChef Australia. Sabia que era um processo demorado, que tinha que ter paciência e tempo pra preparar.

Pra quem não sabe, ragù é um molho de origem italiana (<3 <3 <3 amor eterno amor verdadeiro <3 <3 <3) com base em carne cozida. A própria bolonhesa (bolognese) é um ragù, quem diria olha só. Só que o Ragù de Pato é quase um ritual, fica de um dia pro outro marinando, pra apurar bem o sabor dos temperos. Você pode fazer express? Claro que pode. Mas acho que um pouco da beleza do prato está em todo o seu processo de preparo.

Pois bem, fui ao supermercado decidida a comprar pato para fazer o tal do ragù. E fiz. Ele ficou perfeito? Não. Eu mudarei coisas da próxima vez? COM CERVEJA! Mas achei que valia o post até para poder comparar o primeiro com o segundo. Ninguém nasce sabendo, eu muito menos. Cozinha é prática, é dia-a-dia. Valeu E MUITO pela experiência para ir aperfeiçoando as técnicas.

Deixo claro aqui que eu fiz como achei que era e com base no que já vi em programas de culinária. Não segui nenhuma receita e o processo pode ser diferente de pessoa para pessoa.

Sobre o gosto… Ah, o gosto! Ficou maravilhoso! Da próxima vez mudarei coisas no preparo e, principalmente, na apresentação. Mas o sabor estava divino.

Bora pra receita que isso aqui tá parecendo mais um “Meu querido diário…”.

Ingredientes (para 2 pedreiros, porque serve até 3 pessoas tranquilamente)

Para a marinada

  • 2 peitos e 2 asas de pato, com pele
  • 2 dentes de alho
  • 1 cenoura picada grosseiramente
  • 1 talo de salsão (também conhecido como aipo)
  • 1 cebola pequena picada grosseiramente
  • 2 folhas de louro
  • ervas (eu usei alecrim e tomilho)
  • 1/2 garrafa de vinho tinto
  • sal e pimenta do reino a gosto
  • 1 col sopa de azeite

Para o ragù

  • 1/2 lata de tomate pelado picado (400 g)
  • 1/2 cebola picada bem pequena
  • 1 dente de alho
  • 2 col sopa manteiga
  • folhas de tomilho
  • 1 copo de vinho branco

Para a massa

  • 400 g de pappardelle
  • água, sal e óleo

PRE-PÁRA!

  1. Prepare a marinada misturando todos os ingredientes em uma travessa que possa ir ao forno de um dia para o outro. O ideal é deixar o pato marinando por 24 horas.Ragù de Pato com Pappardelle
  2. No dia seguinte, leve essa marinada ao forno e deixe assando por 3 horas em forno pré-aquecido a 180º, envolvido em papel alumínio. O pato deve assar em forno baixo mesmo, por isso o longo tempo de forno.
  3. Após o período de forno, separe o caldo, os temperos e o pato. O pato deve ser desfiado grosseiramente. Os temperos devem ser guardados para uma sopa e o caldo deve ser coado para que fique somente o líquido.
  4. Leve este líquido ao fogo por 40 min a 1 hora, para reduzir e engrossar.
  5. Nesse estágio, cozinhe a massa conforme as instruções do pacote.
  6. Doure cebola e alho na manteiga até que estejam transparentes, acrescente o copo de vinho, o tomilho, o tomate pelado e o caldo já reduzido. Refogue até que todos os sabores estejam incorporados. Deixe reduzir novamente, acrescente o pato desfiado, refogue por mais uns 5 minutos e sirva por cima da massa.

Agora vamos às considerações finais: O que eu mudaria na minha receita.

Em primeiro lugar eu terei mais “esmero” para cortar as cebolas da próxima vez. Cortei grande dessa vez e esteticamente não ficou legal.

Em segundo lugar, como o pato tava beeeeeeeeeem cozido, eu mexi demais nele, o que o fez ficar muito mais desfiado. O ideal é colocá-lo na panela e mexer o mínimo possível, para que ele não se desfaça. Coisa que eu aprendi na prática, neam.

Em terceiro, eu teria comido mais. :~~~~~~

Aguardem cenas dos próximos capítulos…

Ragu de Pato com Pappardelle