Bacalhau com Broa e Batatas ao Murro

 

Bacalhau com Broa e Batatas ao Murro

Hoje a comida é portuguesa com certeza, ó pá!

Das melhores coisas de morar em Portugal, certamente é poder comer bacalhau sempre que quiser. Bateu a vontade, vai em qualquer mercadinho que lá vai ter o dito congelado, seco, demolhado, desfiado, até o feito pela Dona Joaquina.

Um dos ~bacalhaus~ mais gostosos que eu já comi na vida foi esse tal de bacalhau com broa. Tanto, que não sosseguei enquanto eu não reproduzi em casa, com direito a repetir até chegar ao ponto de meu estômago ganhar vida e gritar: expediente encerrado por tempo indeterminado!

A primeira vez que comi este prato foi no Porto, e desde então meu estômago de gordinha sempre se lembra com muita saudade dessa iguaria. Dentre as mais de 1000 maneiras de preparar bacalhau, esta é certamente das mais fáceis e mais gostosas!

Essa broa assadinha, embebida em azeite e temperadinha é uma das provas de que Dels existe e quando criou o mundo disse: VAI GORDINHA!

Porque amigue, essa receita é pra se jogar “DI CUM FORÇA”. Nada de comer um pedacinho que isso aqui não é mizerê não, é pra comer como se esse fosse o último bacalhau da semana santa.

Reserva o azeite em lata, descasca os dentes de alho balançando na panela durante 1 minuto, prepara o detergente pra tirar o cheiro de peixe e vem comigo que hoje a receita é 3 em 1

Ingredientes (pra família inteira, pode chegar)

Para o bacalhau

  • 1 lombo de bacalhau demolhado e sem pele por pessoa (meu marido comeu dois, então você quem sabe como #lhedar com seus esfomeados)
  • 300 ml azeite extra-virgem, aproximadamente (sim, isso tudo)
  • 1 cabeça de alho
  • pimenta preta moída na hora
  • ½ broa de milho esmigalhada grosseiramente com a mão*
  • 1 xic de salsinha picada
  • sal a gosto

* eu fiz em casa, mas pode comprar a pronta. Para quem quiser fazer (é muito fácil) vou passar a receita também.

Para as batatas ao murro

  • 150 g batatas pequenas e redondinhas por pessoa
  • 5 a 7 dentes de alho
  • 200 ml azeite extra-virgem
  • 1 talo de alecrim (não usei porque tenho marido em casa, se fosse pra mim teria usado)

Para a broa de milho

  • 2 xic farinha de milho
  • 1 xic farinha de trigo tipo 65
  • ½ col sopa fermento para pães seco
  • ½ col sopa açúcar
  • 1 col chá sal
  • 300 ml água morna tolerável ao toque (se aguentar 10 segundos com o dedo lá dentro, a temperatura está boa)

PRE-PARA

Broa de milho

  1. Misture todos os ingredientes secos em um bowl com as mãos. Faça um buraco no meio (tipo vulcão) e acrescente a água.
  2. Mexa tudo, até que a massa esteja homogênea (chega ao ponto muito rápido).
  3. Polvilhe farinha de milho por cima da massa e leve para crescer por 1 h em local escuro, quente e seco.
  4. Pré-aqueça o forno a 220º. Transfira a broa para uma bandeja polvilhada com farinha de milho que possa ir ao forno e espere mais meia hora.
  5. Leve para assar por 15 minutos ou até que esteja dourada.

Bacalhau com Broa

  1. Esmigalhe a broa (amanhecida de preferência) e acrescente 100 ml de azeite, salsinha picada, sal e pimenta preta a gosto. O azeite deve embeber a broa mas sem encharcar: se faltar, coloque mais azeite, se for muito, não coloque tudo. Reserve.
  2. Em uma vasilha (de preferência de barro mas eu não tenho e usei cerâmica), coloque os dentes de uma cabeça de alho inteira descascados e coloque o bacalhau por cima, de forma que o bacalhau tenha uma “cama” de dentes de alho. Deite 200 ml de azeite (não economiza no azeite não que isso é comida portuguesa, pá!!!) por cima do bicho e espere escorrer. Tempere o peixe com pimenta preta (e sal, caso queira, eu não coloco porque usei bacalhau dessalgado) e leve para assar por 15 minutos em forno ainda frio (coloque o bacalhau lá dentro e ligue o forno) a 220º.
  3. Após esse tempo, retire o bacalhau do forno, coloque a broa por cima e leve novamente ao forno por 10 a 15 minutos, até que a broa esteja dourada.

Batatas ao murro

  1. Em uma panela grande, coloque água e sal e as batatas.
  2. Leve ao fogo até que ferva e depois desligue o fogo, deixando as batatas lá dentro até que a água esfrie. Este procedimento fará com que as batatas cozinhem, mas ainda permaneçam firmes. Confirme que as batatas cozinharam mas com uma certa resistência (elas não devem estar muito molengas), atravessando um palito no meio.
  3. Retire as batatas da água e dê uma leve batidinha em cada uma para que fiquem com a característica de terem levado um murrinho HEHEHEHE
  4. Disponha as batatas em um refratário, adicione azeite e os dentes de alho (e o alecrim, caso use) e leve para assar a 220º por 20 a 25 minutos, ou até que estejam douradas.

Vai sobrar muito azeite no fundo dos refratários, não jogue fora!! Ele é perfeito para temperar comida ou usar normalmente para refogar alimentos, pois já vai estar com gostinho de alho e temperos.

Bacalhau com Broa e Batatas ao Murro

 

Bacalhau com Broa e Batatas ao Murro

Vamos falar de coisa boa? Vamos falar de AZEITE!

Imagem daqui.

Imagem daqui.

Eu estou na terra do azeite, então este post até que demorou para sair…

O azeite possui diversos benefícios para a saúde – disso todo mundo sabe. A dieta mediterrânica, conhecida mundialmente por ser um estilo de alimentação saudável praticado por países mediterrânicos (Espanha, Portugal, Grécia e Itália) tem como uma das bases o azeite e as azeitonas, além da ingestão de vegetais, muitos frutos do mar, peixes e pouquíssima carne vermelha (para saber mais sobre a dieta mediterrânica, leia aqui e aqui. Neste outro link aqui você pode acessar um artigo da Organização Mundial da Saúde a respeito da Dieta Mediterrânica).

Há muitos anos eu substitui praticamente todo o óleo por azeite. Foi uma opção de vida e saúde. É um pouco mais caro? No Brasil, sem dúvida. Mas o coração agradece.

Existem alguns pontos que devem ser levados em consideração na hora de escolher o melhor azeite. Seguem algumas informações que você deve levar em conta quando for comprar o seu:

Azeite extra-virgem, virgem, refinado, comum, whaaaaaaaaaaaat???

O azeite extra-virgem é o azeite que sofreu o menor processo de refinamento sem o uso de agentes químicos. Sua qualidade é superior, com aroma e cheiro mais intensos. A acidez NUNCA deve passar dos 0.8% (se passar, não compre). Ideal para temperar saladas e finalizar pratos.

O azeite virgem já sofreu maior refinamento, sem agentes químicos, no entanto ainda possui qualidade. A acidez JAMAIS deve passar os 2%. Ideal para refogados.

Azeite refinado é uma mistura de azeite lamparino (antigamente, o que restava do azeite que era impróprio para consumo era usado para acender lamparinas, por isso o nome “lamparino”) reciclado com azeite virgem. A acidez normalmente não passa de 1%, mas este valor é muito instável. Ideal para frituras.

Acidez do azeite, o que é, para que serve.

Acidez não está diretamente ligada ao sabor, mas à qualidade da oliva. Quanto menor a acidez, mais qualidade tinha a oliva que fabricou aquele azeite. Contudo, se o azeite está dentro dos limites citados acima, ele está ideal para consumo.

Na prática, qual a diferença entre os azeites?

Eu tenho sempre dois azeites em casa: um extra-virgem, para ser usado cru em finalizações de pratos, temperos de saladas, etc; e outro azeite virgem, para ser aquecido, quando faço risottos, arroz ou refogo alimentos. Frituras normalmente eu faço em óleo mesmo.

A razão para isto é que o azeite extra-virgem é mais caro que o azeite-virgem, que por sua vez é mais caro que o azeite comum. Se eu aquecer o azeite extra-virgem, ele irá perder todas as propriedades que tem, o que vai me fazer perder dinheiro sem necessidade. O azeite comum tem ponto de fervura mais alto, o que o torna ideal para frituras. Caso a fritura seja feita com azeite virgem ou extra-virgem, ele queimará com muito mais facilidade.

Cor do azeite

Se a oliva estava mais verde, vai produzir azeite mais verde. Se estava mais madura, vai produzir um azeite mais amarelo.

Dicas

– azeite não é vinho. Quanto mais velho, pior fica; não o guarde por eras.

– o azeite deve ser conservado em embalagem escura, a fim de evitar a oxidação com a luz. Dê preferência aos que são vendidos armazenados desta maneira.

– azeite pode (e deve) ser usado em receitas doces. Não, não fica com gosto estranho, existem muitas receitas de bolos que substituem a manteiga pelo azeite.

– para mais informações sobre azeite, recomendo a página da Casa do Azeite.