Ragù de Pato com Pappardelle

Ragù de Pato com Pappardelle

Senta que lá vem história.

Eu sempre quis fazer Ragù de Pato, mas nunca tinha tido a oportunidade. A culpa foi de um episódio de Sopranos, no qual eu vi o tal do ragù ser servido e quase morri de fome no dia. Não é fácil assistir programas/séries em que eles apresentam comida boa, sabiam?

Mas voltando ao assunto… eu sabia o princípio do ragù de pato, graças ao MasterChef Australia. Sabia que era um processo demorado, que tinha que ter paciência e tempo pra preparar.

Pra quem não sabe, ragù é um molho de origem italiana (<3 <3 <3 amor eterno amor verdadeiro <3 <3 <3) com base em carne cozida. A própria bolonhesa (bolognese) é um ragù, quem diria olha só. Só que o Ragù de Pato é quase um ritual, fica de um dia pro outro marinando, pra apurar bem o sabor dos temperos. Você pode fazer express? Claro que pode. Mas acho que um pouco da beleza do prato está em todo o seu processo de preparo.

Pois bem, fui ao supermercado decidida a comprar pato para fazer o tal do ragù. E fiz. Ele ficou perfeito? Não. Eu mudarei coisas da próxima vez? COM CERVEJA! Mas achei que valia o post até para poder comparar o primeiro com o segundo. Ninguém nasce sabendo, eu muito menos. Cozinha é prática, é dia-a-dia. Valeu E MUITO pela experiência para ir aperfeiçoando as técnicas.

Deixo claro aqui que eu fiz como achei que era e com base no que já vi em programas de culinária. Não segui nenhuma receita e o processo pode ser diferente de pessoa para pessoa.

Sobre o gosto… Ah, o gosto! Ficou maravilhoso! Da próxima vez mudarei coisas no preparo e, principalmente, na apresentação. Mas o sabor estava divino.

Bora pra receita que isso aqui tá parecendo mais um “Meu querido diário…”.

Ingredientes (para 2 pedreiros, porque serve até 3 pessoas tranquilamente)

Para a marinada

  • 2 peitos e 2 asas de pato, com pele
  • 2 dentes de alho
  • 1 cenoura picada grosseiramente
  • 1 talo de salsão (também conhecido como aipo)
  • 1 cebola pequena picada grosseiramente
  • 2 folhas de louro
  • ervas (eu usei alecrim e tomilho)
  • 1/2 garrafa de vinho tinto
  • sal e pimenta do reino a gosto
  • 1 col sopa de azeite

Para o ragù

  • 1/2 lata de tomate pelado picado (400 g)
  • 1/2 cebola picada bem pequena
  • 1 dente de alho
  • 2 col sopa manteiga
  • folhas de tomilho
  • 1 copo de vinho branco

Para a massa

  • 400 g de pappardelle
  • água, sal e óleo

PRE-PÁRA!

  1. Prepare a marinada misturando todos os ingredientes em uma travessa que possa ir ao forno de um dia para o outro. O ideal é deixar o pato marinando por 24 horas.Ragù de Pato com Pappardelle
  2. No dia seguinte, leve essa marinada ao forno e deixe assando por 3 horas em forno pré-aquecido a 180º, envolvido em papel alumínio. O pato deve assar em forno baixo mesmo, por isso o longo tempo de forno.
  3. Após o período de forno, separe o caldo, os temperos e o pato. O pato deve ser desfiado grosseiramente. Os temperos devem ser guardados para uma sopa e o caldo deve ser coado para que fique somente o líquido.
  4. Leve este líquido ao fogo por 40 min a 1 hora, para reduzir e engrossar.
  5. Nesse estágio, cozinhe a massa conforme as instruções do pacote.
  6. Doure cebola e alho na manteiga até que estejam transparentes, acrescente o copo de vinho, o tomilho, o tomate pelado e o caldo já reduzido. Refogue até que todos os sabores estejam incorporados. Deixe reduzir novamente, acrescente o pato desfiado, refogue por mais uns 5 minutos e sirva por cima da massa.

Agora vamos às considerações finais: O que eu mudaria na minha receita.

Em primeiro lugar eu terei mais “esmero” para cortar as cebolas da próxima vez. Cortei grande dessa vez e esteticamente não ficou legal.

Em segundo lugar, como o pato tava beeeeeeeeeem cozido, eu mexi demais nele, o que o fez ficar muito mais desfiado. O ideal é colocá-lo na panela e mexer o mínimo possível, para que ele não se desfaça. Coisa que eu aprendi na prática, neam.

Em terceiro, eu teria comido mais. :~~~~~~

Aguardem cenas dos próximos capítulos…

Ragu de Pato com Pappardelle

Spaghetti de Courgette (Abobrinha) com Bolognese de Salsicha Artesanal

https://hatandapron.wordpress.com/2013/09/04/spaghetti-de-courgette-com-bolognese-de-salsicha-artesanal/

Eis que eu comprei uma nova traquitana para minha cozinha. Um troço inútil mas que eu precisava. Meu marido nunca consegue entender essa necessidade. :~~

Acontece que esse NEGÓCIO tira finas lascas de legumes de um lado e do outro fatia fino e corta em tiras ao mesmo tempo. Não é a nova revolução do século XXI? Xente, sério. Custou 1 euro e ainda é dois em um COMO NÃO AMAR??

Spaghetti de Courgette com Bolonhesa de Salsicha Artesanal

O dito cujo.

Reparem que o lado 1 tira lascas e o lado 2 corta em finas lascas. Eu precisava disso pra vida? Não. Ele é essencial na cozinha? Também não. Mas olha, que to amando ao cubo!

Daí que eu resolvi melhorar uma das receitas já postadas aqui no blog. Lembram da Abobrinha disfarçada de macarrão?

Graças a ele foi possível eu fazer esse Spaghetti de Courgette lheeeeeeeendo. Eu poderia ter cortado na faca, mas além de me dar mais trabalho, não sairia perfeitinho.

Spaghetti de Courgette com Bolonhesa de Salsicha Artesanal

Yeeeeeeeeeeeeeeeeeeeiiiiiiiiiiiiiiiiii!

Bora pra receita que é vapt-vupt.

Ingredientes (para duas pessoas)

Para o Spaghetti

  • 1 courgette cortada em tiras, mas corte apenas ao redor e deixe a parte com sementes para outra receita (aqui em PT esse é o nome, no Brasil é abobrinha mesmo)
  • pitada de sal

Para o molho

  • 1 col sopa de azeite
  • 1 dente de alho bem picado
  • 1 talo de manjericão bem picado
  • 350 g de salsicha de porco artesanal (daquelas que dá pra tirar a pele)
  • 1 lata grande de tomate pelado (aprox. 800g)
  • 1/2 col sopa de açúcar
  • 1 col sopa ketchup
  • pimenta do reino a gosto
  • sal a gosto

PRE-PÁRA!

  1. Para o molho, refogue em fogo médio o alho no azeite e acrescente o manjericão. Acrescente a salsicha sem a pele e deixe refogar bem, até dourar. Carne de porco jamais deve ser comida crua, portanto refogue bem.
  2. Acrescente o tomate pelado previamente cortado (eu amasso com amassador de purê antes, pra facilitar).
  3. Tempere com açúcar, ketchup, pimenta e sal (eu nem precisei colocar o sal porque minha salsicha já era bem salgada). Espere reduzir e reserve.
  4. Corte a courgette em tiras bem finas. DSC_1435
  5. Em uma frigideira bem quente coloque sua courgette (ou abobrinha), tempere com uma pitada de sal e refogue. Não é necessário colocar água, porque a courgette solta muuuita. Aliás, quando a courgette é retirada do fogo, ela ainda solta água, portanto quanto antes comê-la, melhor. Regogue até ficar al dente mas cuidado para não virar uma papa.
  6. Sirva com o molho por cima e finalize com um fio de azeite.

Spaghetti de Courgette com Bolonhesa de Salsicha Artesanal

Lasanha à bolonhesa (ou bolognese)

Prozac em forma de comida.

Prozac em forma de comida.

Estou com uma bela TPM, o que me dá licença poética para comer gordices no meio da semana, incluindo esta bomba calórica de carne, queijo e massa. COMO NÃO AMAR?

Apesar de comum, sinceramente, ao menos para mim, é uma verdadeira ODISSÉIA achar uma lasanha à bolonhesa que preste, mesmo em restaurantes especializados em comida italiana. O segredo, como é óbvio, está no molho, que não pode ser muito ralo, se não desmonta toda a lasanha.

É muito pedir uma lasanha igual à da caixa da Sadia?

A lasanha perfeita.

Ut0pia: a lasanha perfeita.

A gente pode até não conseguir esse resultado, que by the way, nem a própria Sadia consegue, mas a gente faz o que pode, neam?

 

Dificuldade: 3, prestenção!!

Tempo de Preparo: 1 hora, marromenus.

Serve: 3 pedreiros

 

Ingredientes

Para o molho

1 kg de carne moída

1 cebola picada

3 dentes de alho picados

fio de azeite

sal e pimenta do reino a gosto

1 kg de tomate pelado enlatado, com o sugo (caso eles venham inteiros, faça o favor de picá-los)

punhado de manjericão

1 colher de sopa de açúcar

 

Para a lasanha:

700 g de mussarela

massa de lasanha (a quantidade depende da sua forma)

 

Modo de Fazer

Pré-aqueça o forno a 220º.

Eu faço a carne e o molho de tomate separados e só junto tudo no final.

Para a carne, primeiramente refogue cebola e alho no azeite. Acrescente a carne e deixe-a refogando até estar praticamente cozida. Acrescente sal e pimenta do reino e continue refogando bem, até ficar com aparência levemente dourada. Reserve.

Para o molho, comece refogando o alho no azeite, acrescente manjericão picado e refogue por 10 segundos, apenas para murchar as folhas. Acrescente os tomates pelados com o sugo e deixe ferver. Quando estiver fervendo, coloque uma colher de sopa de açúcar. Mas credo tia Stéfanie, açúcar no molho?? É para cortar a acidez do tomate, padawan. ESTA PARTE É MUITO IMPORTANTE E FAZ TODA A DIFERENÇA NO MOLHO. Depois, acrescente sal e pimenta do reino à gosto, mas sem salgá-lo, apenas para dar um toque leve.

Misture a carne e o molho de tomate no fogo, mexa por uns dois minutos, apenas para a carne pegar o gosto do molho. Acerte o sal se necessário.

Montagem da lasanha: uma camada generosa de molho, uma de queijo e uma de massa. Intercale desta maneira até chegar em cima, sendo o gran finale, ou a última camada, de molho e queijo. Leve para o forno por aproximadamente 20 minutos, e depois, caso seu forno tenha a função gratinar, deixe por cinco minutos, apenas para dar aquela tostadinha maravilhosa que só o queijo faz.

Retire do forno e seja feliz!

Tortura.

Tortura.

DSC_0849

Fui uma gordinha feliz.

Fui uma gordinha feliz.