Panquequinhas Integrais de Milho com Maionese de Abacate Vegan

Panquequinhas integrais de milho com maionese de abacate

Panquequinhas integrais de milho com maionese de abacate

Não sou dessas pessoas que tem muito tempo; não mesmo. Aliás, o que me falta na vida é tempo para fazer tudo o que eu quero/preciso. Por isso, quando eu tenho um almoço delicioso pronto em questão de 20 minutos, podem ter certeza que a felicidade, meus amigues, ela é plena.

Panquequinhas integrais de milho com maionese de abacate

De vez em quando essas panquequinhas figuram aqui em casa. Elas são deliciosas e podem ser feitas com absolutamente qualquer vegetal: brócolis, cenoura, ervilha, milho… Qualquer um, que não solte água como o tomate, serve para essa receita. Hoje eu apresento a vocês as panquequinhas com o que eu tinha na minha despensa: milho e um abacate que estava em vias de ser devorado pelos fungos.

Ah, a maionese de abacate é vegan. Mais uma saladinha para acompanhar e é só correr para o abraço, digo, almoço.

Ingredientes:
Para as Panquequinhas:

  • 150g de farinha de trigo integral
  • 1 colher (chá) de fermento em pó químico (para bolo)
  • ½ xícara de água em temperatura ambiente
  • 2 ovos
  • 1 xic de milho/ervilha/brócolis/cenoura (pode ser da espiga, pode ser de lata)
  • ½ cebola pequena picada em cubos
  • pitada de pimenta calabresa
  • 3 col sopa de ervas picadas (salsinha e coentro ou os dois)
  • sal e pimenta do reino moída na hora
  • óleo de girassol, para fritar

Para a Maionese:

  • 1 abacate bem maduro
  • azeite (o bastante até dar o ponto)
  • suco de ½ limão
  • sal e pimenta do reino moída na hora
  • Opcional: pimenta picadinha para ficar ‘ardente’

PRE-PARA

Panquecas:

  1. Em uma tigela, misture a água e os ovos, batendo bem.
  2. Em seguida, acrescente a farinha de trigo integral, o sal, a pimenta e o fermento.
  3. Por último, adicione o milho, a cebola, a pimenta e as ervas, misturando gentilmente.
  4. Em uma frigideira quente, adicione um fio de óleo. Com duas ou três colheres de sopa, vá fazendo panquequinhas na frigideira, formando “montinhos”. Deixe fritar por 1-2 minutos, até que esteja bem dourada e firme.
  5. Vire do outro lado e espere dourar.

 

Maionese:

  1. No liquidificador, adicione o abacate, o limão, o sal e a pimenta. Comece a bater e vá acrescentando o azeite, até que a misture fique com consistência cremosa, tipo maionese.

Panquequinhas integrais de milho com maionese de abacate

Tzatziki

Tzatziki

Eu poderia dizer pra vocês que eu não posto há mais de um mês porque minha vida está muito atribulada, porque tenho feito muitas coisas, porque tenho tido muitos afazeres, mas a verdade é que eu não posto há mais de um mês por motivos de: Charlie Hunnam e Sons of Anarchy.

Tzatziki

soa1

soa3

Pra quem não conhece, SOA é uma série sobre um clube de motoqueiros foras-da-lei, passada na pacata cidade de Charming. A história gira em torno do clube, seus negócios, os membros e como eles fazem para sobreviver ao lidar com gangues rivais. Muita testosterona, motos, tatuagens, boys suados, perseguições e confusão. Até aí, tudo bem.

O problema é que a série conta com a participação de Charlie Hunnam, como Jax. E, MEU DEUS DO CÉU, Charlie Hunnam sujo de graxa, suado, todo tatuado em cima de uma moto, foi demais para meu pobre coração.

E se você ainda não teve a dádiva de conhecer Charlie Hunnam, senta aqui e deixa eu mudar sua vida.

Charlie barbudo

Jax barbudo

Charlie bravo

Jax bravo

Charlie brigão

Jax brigão

Charlie satisfeito

Jax satisfeito

Charlie com sorriso maroto

Jax com sorriso maroto

Charlie conselheiro

Jax conselheiro

Jax nos traindo.

Jax nos traindo

Jax paizão

Jax paizão

Jax pedindo desculpas

Jax pedindo desculpas

Jax poderoso chefão

Jax poderoso chefão

Jax sem camisa

Jax sem camisa

Jax preocupado

Jax preocupado

Jax feliz

Jax feliz

Jax tatuado

Jax tatuado

Jax tomando banho

Jax tomando banho

Jax xatiado

Jax xatiado

Jax olhar sedutor

Jax olhar sedutor

DE NADA.

A série tem ainda Chibs, mas só entenderá meu amor platônico por Chibs quem vir a série.

Mas agora vamos falar de comida, neam?

Aqui tem feito um calor manauara, e pra apagar o fogo refrescar nesse verão, comidas frias são sempre uma boa pedida. Uma das minhas preferidas é o Tzatziki, uma receita grega maravilhosa e bem fácil de fazer.

O tzatziki é uma espécie de patê. Eu gosto de usá-lo como molho para salada também, então, fica ao seu critério. Use a imaginação!

 

Ingredientes

  • 1 pepino médio
  • 1 ½ pote de iogurte natural (usei o grego, porque né, receita grega, iogurte grego…)
  • suco de ½ limão siciliano grande (pode ser o tahiti, mas não saberia dizer a quantidade)
  • sal e pimenta preta a gosto
  • 1 col sopa cheia folhas de hortelã picadas finamente
  • 1 dente de alho bem pequeno espremido
  • ½ col chá azeite extra-virgem

PRE-PARA

  1. Retire a casca e as sementes do pepino. Rale a polpa, disponha sobre uma peneira e salpique sal. Deixe descansando por 30 minutos (esse procedimento irá retirar a água do pepino).
  2. Coloque o pepino em um pano de prato e esprema muito bem, tirando todo o líquido que conseguir.
  3. Misture todos os ingredientes e leve para gelar por 30 minutos.
  4. Se refresque bastante depois dessa sessão de magia calor.

Tzatziki

Bacalhau com Broa e Batatas ao Murro

 

Bacalhau com Broa e Batatas ao Murro

Hoje a comida é portuguesa com certeza, ó pá!

Das melhores coisas de morar em Portugal, certamente é poder comer bacalhau sempre que quiser. Bateu a vontade, vai em qualquer mercadinho que lá vai ter o dito congelado, seco, demolhado, desfiado, até o feito pela Dona Joaquina.

Um dos ~bacalhaus~ mais gostosos que eu já comi na vida foi esse tal de bacalhau com broa. Tanto, que não sosseguei enquanto eu não reproduzi em casa, com direito a repetir até chegar ao ponto de meu estômago ganhar vida e gritar: expediente encerrado por tempo indeterminado!

A primeira vez que comi este prato foi no Porto, e desde então meu estômago de gordinha sempre se lembra com muita saudade dessa iguaria. Dentre as mais de 1000 maneiras de preparar bacalhau, esta é certamente das mais fáceis e mais gostosas!

Essa broa assadinha, embebida em azeite e temperadinha é uma das provas de que Dels existe e quando criou o mundo disse: VAI GORDINHA!

Porque amigue, essa receita é pra se jogar “DI CUM FORÇA”. Nada de comer um pedacinho que isso aqui não é mizerê não, é pra comer como se esse fosse o último bacalhau da semana santa.

Reserva o azeite em lata, descasca os dentes de alho balançando na panela durante 1 minuto, prepara o detergente pra tirar o cheiro de peixe e vem comigo que hoje a receita é 3 em 1

Ingredientes (pra família inteira, pode chegar)

Para o bacalhau

  • 1 lombo de bacalhau demolhado e sem pele por pessoa (meu marido comeu dois, então você quem sabe como #lhedar com seus esfomeados)
  • 300 ml azeite extra-virgem, aproximadamente (sim, isso tudo)
  • 1 cabeça de alho
  • pimenta preta moída na hora
  • ½ broa de milho esmigalhada grosseiramente com a mão*
  • 1 xic de salsinha picada
  • sal a gosto

* eu fiz em casa, mas pode comprar a pronta. Para quem quiser fazer (é muito fácil) vou passar a receita também.

Para as batatas ao murro

  • 150 g batatas pequenas e redondinhas por pessoa
  • 5 a 7 dentes de alho
  • 200 ml azeite extra-virgem
  • 1 talo de alecrim (não usei porque tenho marido em casa, se fosse pra mim teria usado)

Para a broa de milho

  • 2 xic farinha de milho
  • 1 xic farinha de trigo tipo 65
  • ½ col sopa fermento para pães seco
  • ½ col sopa açúcar
  • 1 col chá sal
  • 300 ml água morna tolerável ao toque (se aguentar 10 segundos com o dedo lá dentro, a temperatura está boa)

PRE-PARA

Broa de milho

  1. Misture todos os ingredientes secos em um bowl com as mãos. Faça um buraco no meio (tipo vulcão) e acrescente a água.
  2. Mexa tudo, até que a massa esteja homogênea (chega ao ponto muito rápido).
  3. Polvilhe farinha de milho por cima da massa e leve para crescer por 1 h em local escuro, quente e seco.
  4. Pré-aqueça o forno a 220º. Transfira a broa para uma bandeja polvilhada com farinha de milho que possa ir ao forno e espere mais meia hora.
  5. Leve para assar por 15 minutos ou até que esteja dourada.

Bacalhau com Broa

  1. Esmigalhe a broa (amanhecida de preferência) e acrescente 100 ml de azeite, salsinha picada, sal e pimenta preta a gosto. O azeite deve embeber a broa mas sem encharcar: se faltar, coloque mais azeite, se for muito, não coloque tudo. Reserve.
  2. Em uma vasilha (de preferência de barro mas eu não tenho e usei cerâmica), coloque os dentes de uma cabeça de alho inteira descascados e coloque o bacalhau por cima, de forma que o bacalhau tenha uma “cama” de dentes de alho. Deite 200 ml de azeite (não economiza no azeite não que isso é comida portuguesa, pá!!!) por cima do bicho e espere escorrer. Tempere o peixe com pimenta preta (e sal, caso queira, eu não coloco porque usei bacalhau dessalgado) e leve para assar por 15 minutos em forno ainda frio (coloque o bacalhau lá dentro e ligue o forno) a 220º.
  3. Após esse tempo, retire o bacalhau do forno, coloque a broa por cima e leve novamente ao forno por 10 a 15 minutos, até que a broa esteja dourada.

Batatas ao murro

  1. Em uma panela grande, coloque água e sal e as batatas.
  2. Leve ao fogo até que ferva e depois desligue o fogo, deixando as batatas lá dentro até que a água esfrie. Este procedimento fará com que as batatas cozinhem, mas ainda permaneçam firmes. Confirme que as batatas cozinharam mas com uma certa resistência (elas não devem estar muito molengas), atravessando um palito no meio.
  3. Retire as batatas da água e dê uma leve batidinha em cada uma para que fiquem com a característica de terem levado um murrinho HEHEHEHE
  4. Disponha as batatas em um refratário, adicione azeite e os dentes de alho (e o alecrim, caso use) e leve para assar a 220º por 20 a 25 minutos, ou até que estejam douradas.

Vai sobrar muito azeite no fundo dos refratários, não jogue fora!! Ele é perfeito para temperar comida ou usar normalmente para refogar alimentos, pois já vai estar com gostinho de alho e temperos.

Bacalhau com Broa e Batatas ao Murro

 

Bacalhau com Broa e Batatas ao Murro

Cookies com Gotas de Chocolate

Cookies com Gotas de Chocolate

Cookies com Gotas de Chocolate

Começar a segunda com o melhor cookie EVA, o puro e simples cookie cheinho de açúcar, é uma das maravilhas dessa vida.

Nem a Giovana segura esse forninho.

Esta é a melhor receita de cookie que eu já fiz até hoje, na minha humilde opinião. Sim, porque eu adoro os cookies cheios de firulas, com manteiga de amendoim ou nutella, mas o bom e velho e simples cookie com gotas de chocolate tem o lugar dele no trono de ferro do meu coração.

Cookies com Gotas de ChocolateE a receita não poderia ser mais mamão com açúcar.

Ingredientes (rende 14 cookies)

  • 125 g de manteiga
  • 250 g açúcar mascavo
  • 1 col chá extrato de baunilha
  • 1 ovo
  • 225 g de farinha de trigo tipo 55
  • 1 col chá fermento químico (para bolo)
  • 1 pitada de sal (se a manteiga tiver sal, dispense a pitada)
  • 100 g gotas de chocolate 70%.

PRE-PARA

  1. Misture a manteiga com o açúcar até obter um creme pálido. Adicione o extrato de baunilha e o ovo e bata mais.
  2. Agora com uma espátula, adicione a farinha e logo em seguida o fermento (e a pitada de sal, caso necessário). Por último, acrescente as gotas de chocolate.
  3. Leve à geladeira por 20 a 30 minutos.
  4. Pré-aqueça o forno a 180º. Divida a massa em 14 partes iguais.
  5. Em uma assadeira com papel manteiga ou silpat (eu uso silpat porque é reutilizável) coloque as bolas de massa (eu uso colher de sorvete para isso, facilita o trabalho) deixando um bom espaço entre elas, pois a massa vai “derreter” e ficar no formato.
  6. Leve para assar por 13 a 15 minutos (ou até dourar). Retire do forno e espere esfriar completamente para que eles endureçam.

e por fim as gotas de chocolate

e por fim as gotas de chocolate

Barriga de Porco Assada do Gordon Ramsay

Barriga de Porco

Fumacinha da maldade

 

Depois de passar a semana inteira na ~penura~ da dieta, o domingo é o dia da liberdade. Vai dizer que a gente não merece uma recompensa por toda a fome passada?

E se é pra enfiar o pé na jaca, a gente tem que enfiar até o joelho e com estilo! E melhor ainda se esse estilo todo for uma delícia e der trabalho quase zero.

Uma das melhores formas de fazer comida sem ter trabalho é deixar o forno fazer o trabalho por você, afinal, pra que toda essa tecnologia se não for pra ficar de pernas pro ar em pleno domingo? E carne, meus amigues, carne não deve ser feita com muita firula.

Aliás, um dos maiores crimes cometidos pela humanidade é quando um animal morre em vão por um prato ruim. Se é pra comer a carne que ela ao menos não seja seca, nem salgada nem insossa! Unindo o útil ao agradável, lembrei de uma vez que vi o muso Gordon fazendo barriga de porco desse jeito, em algum episódio de algum programa que não lembro mais qual. Não sei, só sei que foi assim, e devo dizer: que bela lembrança!!! A carne fica muito suculenta e extremamente saborosa.

Gordon, TCHIAMU! Beijo me liga!!

Pra acompanhar, fiz um purê de batata-doce (durante a semana eu passo a receita porque ela foi sucesso total e absoluto aqui em casa), salada de folhas verdes com tomate-cereja e rabanete temperada com azeite, limão, sal e pimenta preta AND um molho com o suco da própria carne. #epicwin

Ingredientes

  • 1 peça de barriga de porco (em Portugal chama-se entremeada)
  • 1 cabeça de alho
  • ramos de tomilho fresco
  • 400 ml vinho branco
  • sal e pimenta preta a gosto
  • azeite a gosto

PRE-PARA

  1. Aqueça o forno a 220º.
  2. Faça cortes na pele do porco e tempere generosamente com sal grosso, pimenta preta e azeite. Besunte e massageie a carne dos dois lados.
  3. Corte a cabeça de alho ao meio, no sentido horizontal (tipo assim)
  4. Em uma bandeja, coloque as metades do alho, os ramos de tomilho e o vinho. Por cima do alho e tomilho, coloque a peça de carne com a pele virada para cima.
  5. Cubra com papel alumínio e leve para assar por 2h30. Cuidado para que o vinho não seque completamente. Se isso acontecer, acrescente mais.
  6. Após esse tempo, retire o papel alumínio e deixe assar por aproximadamente  15 minutos ou até a pele dourar e ficar durinha, meio estaladiça.
  7. Sirva a seguir.

Barriga de Porco