Magret de Pato com Redução de Framboesas e Vinho do Porto

Magret de Pato com redução de Framboesas e vinho do Porto

Magret de Pato com redução de Framboesas e vinho do Porto

Eu sei, eu sei, eu sumi… Eu sou uma desnaturada…

Eu nem vou dar desculpas esfarrapadas porque né, o blog nunca ficou tanto tempo parado, não tem morte da bisavó pela quinta vez que justifique tamanha poeira nas teclas. Mas acreditem, eu não me esqueci daqui! Na verdade, passei apenas um período um tanto vagabundo, meio largada das panelas, fazendo o couscous marroquino pra me safar enquanto a inspiração não chegava… Mas como toda boa filha pródiga, eis-me aqui cheia de amor receitas pra dar.

Em minha defesa indefensável, eu comecei a trabalhar e durante os últimos dois meses o regime tem sido de 10 a 11 horas por dia. Ando morta feat. enterrada. Contudo, porém, todavia, entretanto, ultimamente meus horários estão voltando pouco a pouco ao ~normal~ e, com isso, voltarei a pensar em outra coisa que não seja minha fofa, macia e calorosa cama.

Para me redimir, trago hoje uma receitinha com cara de chique mas que é super fácil!

Magret de pato tem um nome chique, mas nada mais é do que o peito do pato. Passei no supermercado dia desses e, como se fossem pais no natal, estavam dando de presente umas promoções maravilhosas. Nessa, o kilo do pato estava por uma bagatela. Comprei o pato inteiro e cortei o peito, que resolvi fazer nesta receita magret. O resto do pato vai aparecendo por aqui aos poucos!

A ideia da redução de framboesas com vinho se deveu a outra maravilhosa promoção, que dava 50% de desconto nas bagas. Não é lindo quando o universo conspira a favor do seu bolso? #oremos

E ambas as receitas são nível sentar no pudim de facilidade. Olha que maravilha!

Ingredientes

Para o Magret:

  • 2 peitos de pato com pele
  • sal e pimenta do reino/preta a gosto

Para a Redução de Framboesas com Vinho do Porto

  • 2 col sopa manteiga
  • 1 cebola pequena picada em cubos bem pequenos
  • 120 ml de vinho do porto (ou qualquer vinho tinto)
  • 1 col sopa açúcar
  • pitada de pimenta branca
  • sal a gosto
  • 125 g framboesas frescas
  • 1 col sopa creme de balsâmico
  • folhas de tomilho frescas

PRE-PARA

O Magret:

  1. Faça cortes na pele do pato para que a gordura solte.
  2. Em uma frigideira fria, coloque os peitos do pato com a pele virada para baixo e ligue o fogo em temperatura média para alta. A gordura irá despreender da pele.
  3. Assim que a pele estiver bem dourada, vire o pato do outro lado. Para um pato ao ponto (como o meu) deixe por volta de 4 minutos. Para mal passado deixe 3 minutos e para bem passado deixe 6.
  4. Retire do fogo e espere 4 minutos. Depois deste tempo, corte a carne em pedaços.

A Redução:

  1. Em uma panela, coloque a cebola picada e a manteiga e ligue o fogo. Quando a cebola estiver dourada, acrescente o vinho e deixe reduzir pela metade.
  2. Neste momento, adicione os demais ingredientes e espere até que a framboesa se desfaça e a redução atinja a consistência desejada. Acerte o sal, ao final.
  3. Retire do fogo e disponha em cima do magret, já cortado.

Magret de Pato com redução de Framboesas e vinho do Porto

Anúncios

Ragù de Pato com Pappardelle

Ragù de Pato com Pappardelle

Senta que lá vem história.

Eu sempre quis fazer Ragù de Pato, mas nunca tinha tido a oportunidade. A culpa foi de um episódio de Sopranos, no qual eu vi o tal do ragù ser servido e quase morri de fome no dia. Não é fácil assistir programas/séries em que eles apresentam comida boa, sabiam?

Mas voltando ao assunto… eu sabia o princípio do ragù de pato, graças ao MasterChef Australia. Sabia que era um processo demorado, que tinha que ter paciência e tempo pra preparar.

Pra quem não sabe, ragù é um molho de origem italiana (<3 <3 <3 amor eterno amor verdadeiro <3 <3 <3) com base em carne cozida. A própria bolonhesa (bolognese) é um ragù, quem diria olha só. Só que o Ragù de Pato é quase um ritual, fica de um dia pro outro marinando, pra apurar bem o sabor dos temperos. Você pode fazer express? Claro que pode. Mas acho que um pouco da beleza do prato está em todo o seu processo de preparo.

Pois bem, fui ao supermercado decidida a comprar pato para fazer o tal do ragù. E fiz. Ele ficou perfeito? Não. Eu mudarei coisas da próxima vez? COM CERVEJA! Mas achei que valia o post até para poder comparar o primeiro com o segundo. Ninguém nasce sabendo, eu muito menos. Cozinha é prática, é dia-a-dia. Valeu E MUITO pela experiência para ir aperfeiçoando as técnicas.

Deixo claro aqui que eu fiz como achei que era e com base no que já vi em programas de culinária. Não segui nenhuma receita e o processo pode ser diferente de pessoa para pessoa.

Sobre o gosto… Ah, o gosto! Ficou maravilhoso! Da próxima vez mudarei coisas no preparo e, principalmente, na apresentação. Mas o sabor estava divino.

Bora pra receita que isso aqui tá parecendo mais um “Meu querido diário…”.

Ingredientes (para 2 pedreiros, porque serve até 3 pessoas tranquilamente)

Para a marinada

  • 2 peitos e 2 asas de pato, com pele
  • 2 dentes de alho
  • 1 cenoura picada grosseiramente
  • 1 talo de salsão (também conhecido como aipo)
  • 1 cebola pequena picada grosseiramente
  • 2 folhas de louro
  • ervas (eu usei alecrim e tomilho)
  • 1/2 garrafa de vinho tinto
  • sal e pimenta do reino a gosto
  • 1 col sopa de azeite

Para o ragù

  • 1/2 lata de tomate pelado picado (400 g)
  • 1/2 cebola picada bem pequena
  • 1 dente de alho
  • 2 col sopa manteiga
  • folhas de tomilho
  • 1 copo de vinho branco

Para a massa

  • 400 g de pappardelle
  • água, sal e óleo

PRE-PÁRA!

  1. Prepare a marinada misturando todos os ingredientes em uma travessa que possa ir ao forno de um dia para o outro. O ideal é deixar o pato marinando por 24 horas.Ragù de Pato com Pappardelle
  2. No dia seguinte, leve essa marinada ao forno e deixe assando por 3 horas em forno pré-aquecido a 180º, envolvido em papel alumínio. O pato deve assar em forno baixo mesmo, por isso o longo tempo de forno.
  3. Após o período de forno, separe o caldo, os temperos e o pato. O pato deve ser desfiado grosseiramente. Os temperos devem ser guardados para uma sopa e o caldo deve ser coado para que fique somente o líquido.
  4. Leve este líquido ao fogo por 40 min a 1 hora, para reduzir e engrossar.
  5. Nesse estágio, cozinhe a massa conforme as instruções do pacote.
  6. Doure cebola e alho na manteiga até que estejam transparentes, acrescente o copo de vinho, o tomilho, o tomate pelado e o caldo já reduzido. Refogue até que todos os sabores estejam incorporados. Deixe reduzir novamente, acrescente o pato desfiado, refogue por mais uns 5 minutos e sirva por cima da massa.

Agora vamos às considerações finais: O que eu mudaria na minha receita.

Em primeiro lugar eu terei mais “esmero” para cortar as cebolas da próxima vez. Cortei grande dessa vez e esteticamente não ficou legal.

Em segundo lugar, como o pato tava beeeeeeeeeem cozido, eu mexi demais nele, o que o fez ficar muito mais desfiado. O ideal é colocá-lo na panela e mexer o mínimo possível, para que ele não se desfaça. Coisa que eu aprendi na prática, neam.

Em terceiro, eu teria comido mais. :~~~~~~

Aguardem cenas dos próximos capítulos…

Ragu de Pato com Pappardelle

Arroz de Pato

Arroz de Pato

Apesar de morar em Portugal, eu reparei que quase não posto receitas tugas. E olha que aqui só tem comida boa! Juro que não é por mal, APENAS relapso.

Quando se fala em comida tuga, todo mundo pensa imediatamente em um bacalhau, ó pá! Acontece que, além do bacalhau, diversos outros ingredientes fazem parte da rycah e phyna culinária portuguesa, como frutos do mar em geral, porco AAAAAAAAAAAAND pato!

A receita original vai chouriço, uma espécie de linguiça tuga maaaaaaaaaaraaaaaaaaavilhuóóósa. Não costumo fazer esse prato porque ele dá mointo trabalho, mas o sabor compensa. Vale uma jaca no fim de semana sem peso na consciência!

Rendimento: 2 pedreiros

Ingredientes

  • uma carcaça de pato inteiro OU um peito de pato OU coxa e sobrecoxa (adendo: eu acho meio crime/desperdício comprar um pato, que tem uma carne saborosíssima e em alguns lugares é caro pra choochoo, pra desfiá-lo, por isso eu sempre uso a carcaça, mas cada um com suas manias, né?)
  • 2 lt de água
  • 2 dentes de alho
  • 1/2 cebola picada grosseiramente
  • 1 talo de salsão, também chamado de aipo
  • 1 cenoura picada grosseiramente
  • ervas que você tiver, como tomilho, alecrim, sálvia, louro…
  • 1 1/2 xic de arroz parbolizado (em PT conhecido como vaporizado)
  • sal e pimenta do reino a gosto

PRE-PÁRA!

  1. Coloque o pato para fritar em uma frigideira antiaderente ainda fria com o lado da pele virado para baixo. Não é necessário óleo ou azeite, pois o pato tem muita gordura, que irá soltar quando você começar a fritar a pele. Deixe ela ficar bem torrada. Assim que a gordura desprender, desligue o fogo, retire o pato e reserve o óleo.
  2. Em uma panela com tampa, coloque a água para ferver com 1 dente de alho, cebola, salsão, cenoura, ervas, o pato, sal e pimenta. Quando levantar fervura tampe e deixe ferver por aproximadamente 1 hora em fogo médio.
  3. Retire o pato, espere esfriar e desfie a carne. Descarte os ossos, guarde os legumes para uma sopa e reserve a água do cozimento.
  4. Em uma outra panela, refogue 1 dente de alho picado em 2 colheres de sopa da gordura do pato. A seguir, acrescente o pato desfiado e refogue bem. Acerte sal e pimenta, caso necessário.
  5. Quando a carne estiver bem refogada, retire-a da panela, acrescente mais uma colher de sopa da gordura do pato e refogue o arroz por uns 5 minutos em fogo médio.
  6. Acrescente a água do cozimento do pato, que deve estar fervente, na proporção aproximada de 4 a 5 xícaras de caldo para a quantidade de arroz especificada. Feche a tampa, deixando um pequeno espaço para a saída do vapor.
  7. Quando a água tiver quase toda evaporada, prove o arroz. Caso necessite sal, acrescente. Se o arroz ainda estiver durinho, acrescente mais 1/2 xícara de caldo e repita este processo até que o arroz esteja al dente.
  8. Caso não seja necessário o caldo extra, acrescente o pato e mexa o arroz, para que tudo incorpore. Refogue por mais dois minutinhos, até que a água tenha secado totalmente e sirva a seguir.

UUUUUUUUUUUUUUFA! Até suei! Ainda bem que o resultado compensa muito.

Arroz de Pato

Arroz de PatoObservação: Caso queira fazer a versão portuguesa com o chouriço, é só fazer todo o processo do pato com a linguiça junto. Acrescente-o à àgua do cozimento do pato e depois refogue-o com o pato, na etapa 4. No final, quando incorporar o pato ao arroz, faça o mesmo com o chouriço. Eu, particularmente, prefiro sem. :)

Pato com Ervas de Provence

Pato com Ervas de ProvencePato é uma das carnes mais deliciosas do mundo – mas pode ser um desastre completo caso não seja preparado da maneira correta.

Isso porque, via de regra, carne de pato é dura. Mas sempre existe um trucão pra deixá-la bem macia, né?

Como eu compro o pato inteiro, reservei a coxa e sobrecoxa (juntos mesmo, não separei no corte) para fazer com ervas de provence – que nada mais é do que uma mistura francesa de ervas, originária de Provença, que dão um leve toque apimentado. A mistura inclui tomilho, alecrim, segurelha, oregano, e alfazema e vou lhes dizer, que mistura aromática!

O resultado foi um pato super macio, saboroso and pouco, acabou rápido :(((

Ingredientes

  • 2 coxas com sobrecoxa de pato (juntas ou separadas) com a pele
  • 1 col café de ervas de provence
  • 1/2 xic vinho branco
  • sal e pimenta do reino a gosto
  • 1 talo de salsão (também conhecido como aipo) picado
  • 1/2 cenoura picada grosseiramente

PRE-PÁRA

1. Em uma travessa, misture todos os ingredientes e deixe marinando por, no mínimo, 2 horas.

2. Pré-aqueça o forno a 200º.

3. Em uma frigideira, coloque o pato com a parte da pele virada para baixo. Faça leve cortes na pele, sem atingir a carne. Pato é um animal muito gorduroso, não precisa sequer untar a frigideira com nenhum tipo de óleo. A gordura da pele se despreenderá (e muito), passados alguns minutos. Deixe ele fritar bem dos dois lados.

4. Retire da refratária o salsão, retorne o pato para ela e leve ao forno coberto com papel alumínio por aproximadamente 1 h.

5. Sirva com as cenouras.

Pato com Ervas de Provence