Pão 100% Integral

Pão 100% Integral

Pão 100% Integral

Pão 100% Integral

Ficou tão lindo que merece uma exposição na Bienal!

Segundo post em uma semana??? I’m on fire!

Pão 100% Integral

E hoje eu venho com um verdadeiro campeão nas olimpíadas de qualquer coração e estômago: pão caseiro. Que me perdoem as pessoas que não comem um pãozinho, nem que seja de vez em quando, mas vocês estão fazendo isso errado.

Pão é vida!!!

Eu, há tempos, estava a procura de uma receita de pão que fosse totalmente integral e não ficasse seca. Por que, se tem uma coisa broxante em pão, é quando ele está seco. E eu encontrei!

Este pão fica muuuuuuuuuito fofinho, com gosto bem suave, e o melhor: muito fácil de fazer e não precisa de máquina de pão nem batedeira, apenas um bracinho a fim de trabalhar um pouco.

É ou não é a notícia do ano? Agora me responda: quem, MEL DELSSS, precisa de pão de supermercado, sem graça e cheio de porcaria, quando se pode ter uma maravilha dessas em casa???

Não sei, não consigo compreender.

Mas agora acabou a desculpa. Joga o Brother’s fora (mentira, joga não, come todo e nunca mais compra) e vem comeeeeeeegooo!

Ingredientes

  • 1/4 xic água morna tolerável ao toque
  • 1 ½ col sopa de açúcar mascavo
  • 1 pacote de fermento biológico seco (11g) ou 30 g de fermento biológico fresco
  • 500 g farinha de trigo integral (+ quantidade que baste de farinha para dar o ponto na massa)
  • 250 ml água morna
  • ½ a 1 col sopa sal
  • 5 col sopa de azeite
  • sementes (opcional, isso é uma firula)

Pre-para

  1. Faça uma esponja com o 1/4 xic água morna, açúcar e fermento. Misture bem e deixe descansar por uma hora em um local seco, quente e escuro (por exemplo, dentro do forno).
  2. Na mesma vasilha onde fez a esponja, acrescente os demais ingredientes, sem muita frescura de fazer vulcão não, só taca lá dentro mesmo, e misture bem com as mãos, sovando a massa por 10 a 15 minutos, para desenvolver o glúten (uuuuuuuuuuuuuuuhhhhhhhhhhhhhhhhh #medo #temglútensim).
  3. Acrescente mais farinha, caso necessário, para dar o ponto da massa. Mas acrescente de (bem) pouco em pouco, para que a massa não fique pesada e seca! O ponto é quando a massa ainda está pegajosa, grudando levemente na mão, mas homogênea e você consegue formar uma bola com ela. No caso de pão integral, se desgrudar totalmente da mão, como no caso do pão branco, vai ficar seco.
  4. Volte para o local seco, quente e escuro por 1 hora, para a massa crescer e dobrar de tamanho.
  5. Unte uma forma de pão de 25 cm com azeite e disponha a massa, até que preencha toda a forma. Se quiser, acrescente umas firulas, como sementes (eu coloquei gergelim). Leve para descansar por mais 45 minutos, dentro do forno.
  6. Tire o pão do forno e pré-aqueça-o na temperatura máxima por 10 minutos. Após este tempo, diminua a temperatura para 200º e asse o pão por aproximadamente 20 minutos, ou até que você aperte e ~sinta~ que ele está fofinho e assado.
  7. Tire do forno e espere alguns minutos antes de desenformar.
  8. Seja muito, mas muito feliz, abusando da manteiga!

Pão 100% Integral

 

Anúncios

Pão de Batata-Doce Sem Glúten e Sem Lactose (a aveia é firula)

Pão de Batata-Doce sem glútem sem lactose

Eu sou meio descrente com pão sem glúten, sabem? A maioria deles fica com uma textura super esquisita, ou fica borrachento, ou fica gelatinoso, ou fica intragável. Toda vez que vejo nos Instagrams fits da vida que o pão não tem glúten, eu já desconfio.

look

Mas eis que eu vi a Paula Martins, do Viver Sem Trigo, postando essa receita de pão e pensei, é agora! E não é que o bendito surpreendeu todas as minhas exxxxpectativas?

Ele fica com uma textura super fofa, macia e é uma delícia! Obviamente, fiz umas adaptações básicas, senão não seria eu. Mas para quem quer enveredar pelo mundo dos pães caseiros sem glúten, esse é um excelente começo.

Ingredientes

Para pré-fermentação

  • 3/4 xic de água morna tolerável ao toque
  • 10 g fermento biológico seco
  • 1 col sopa açúcar mascavo

Para a massa:

  • 1 e ½ xic farinha de arroz
  • ½ xic farinha de amêndoas
  • ½ xic polvilho doce
  • ½ xic farinha de linhaça dourada
  • 60 g purê de batata doce
  • 4 ovos
  • 1 col sopa vinagre de maçã ou outro vinagre qualquer
  • ½ col chá goma xantana (espessante)
  • sal a gosto

PRE-PARA

  1. Misture todos os ingredientes da pré-fermentação e deixe em local seco e escuro, por exemplo dentro do forno, por 10 minutos.
  2. Cozinhe a batata doce até que esteja mole em ponto de purê.
  3. Misture todos os ingredientes secos em uma vasilha e os molhados em outro.
  4. Na vasilha dos ingredientes secos, faça um buraco no meio. Acrescente os ingredientes molhados e o fermento.
  5. Misture bem, adicione a batata doce.
  6. Coloque em forma de bolo inglês untada com azeite (se quiser, coloque flocos de aveia por cima, para decorar) e leve para assar em forno pré-aquecido a 180º por 30 minutos ou até que esteja assado.
  7. Coma ainda quentinho com manteiga ou queijo ou só puro mesmo.

Pão de Batata-Doce sem glútem sem lactose

Pão de Batata-Doce sem glútem sem lactose

Bolo de Alfarroba ou Todo Ingrediente é Gostoso com o Preparo Certo

Bolo de Alfarroba ou Todo Ingrediente é Gostoso com o Preparo Certo

Senta que lá vem história…

Desde pequena, eu sempre fui dessas crianças esquisitas, daquelas que adoram beterraba e quiabo, que pedem pra mãe colocar cebola em tudo e que abrem a geladeira para roubar pimentão e cenoura para comer crus.

Ou seja, eu nunca tive problemas pra comer. Eu sempre adorei tudo, sempre comi de tudo, sempre gostei de experimentar novos ingredientes, incluindo verduras e legumes, muitas verduras e legumes.

E eu sou esquisita assim até hoje.

Foi quando, para meu total espanto, há um ano eu comprei alfarroba para experimentar e… ODIEI!! As pessoas me diziam que lembrava chocolate, que podia fazer uma receita e ao invés de usar chocolate era só usar ele e adivinhem, não tem nada a ver. MESMO.

Testei outras receitas, todas sem sucesso. Daí acabei esquecendo a alfarroba num canto escuro da despensa.

Bolo de Alfarroba ou Todo Ingrediente é Gostoso com o Preparo Certo

Se minha alfarroba fosse um filme

No começo deste ano, ao dar uma geral na despensa para usar as coisas que já estão próximas do prazo de validade, eis que encontro a bendita da alfarroba abandonada. Ao consultar a santa internet, esse grande livro de receitas virtual, achei esta receita aqui e resolvi dar mais uma chance para a infame alfarroba. Eis-me aqui agora escrevendo este post.

Moral da história: Todo ingrediente é bom, quando preparado da maneira correta.

Ingredientes

  • 150 g manteiga (usei com sal)
  • 75 g farinha de alfarroba
  • 3 ovos
  • 180 g açúcar mascavo (mascavado em PT)
  • ½ col chá essência de baunilha
  • 65 g farinha trigo
  • ½ col chá fermento em pó químico (para bolo)

forma redonda de 20 cm de diâmetro

PRE-PARA

  1. Unte a forma com manteiga e polvilhe com farinha de alfarroba. Pré-aqueça o forno a 180º.
  2. Derreta a manteiga em banho-maria e adicione a alfarroba. Reserve.
  3. Em uma tigela, bata os ovos, o açúcar e a baunilha até que a mistura esteja fofa.
  4. Adicione a manteiga à mistura, depois a farinha e o fermento.
  5. Leve para assar até passar no teste do palito.

Bolo de Alfarroba ou Todo Ingrediente é Gostoso com o Preparo Certo

 

Iogurte Vegano de Coco

Iogurte Vegano de Coco

Bom diaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!

Então, como foi o findi?

Quem acompanha o blog no Instagrão (@stefaisk #fikdik) viu que sábado o blog foi convidado pelo Burguers&Beer pra fazer degustação de algumas cervejas da carta e dos pratos oferecidos pela casa. Vou fazer um review ainda essa semana sobre o lugar, os comes e bebes. Um pequeno resumo pode ser classificado assim:

Iogurte Vegano de Coco

Perdendo a dignidade em público.

Depois, como eu nem tinha bebido o suficiente, fui com uns amigos para a Rota de Tapas no centro, que rolou até ontem. Devo dizer que comer, eu não comi, porque não cabia mais nada, agora beber………………

Queridos amigues, ontem meu nome era “Ressaca” e meu sobrenome “Das Boas”.

E como todo castigo pra pobre é pouco, ainda acordei cedo para trabalhar e estudar. Quem disse que existe justiça no mundo mentiu muito.

Se justiça divina existisse, eu poderia ter passado o dia inteiro curtindo minha ressaca debaixo do cobertor, comendo chocolate e pizza (sem engordar) e vendo filmes e séries.

Fiquei até 22h trabalhando que nem uma condenada. Quem mandou não jogar no Euromilhões.

Mas como hoje é segunda-feira, dia sem carne (e pra mim vegan) vamos ao iogurte vegano que a gente ganha mais, né?

Testei fazer uma receita de iogurte vegano e saiu muito melhor do que minhas melhores expectativas. Juro, achei que ia dar tudo errado na primeira, mas saiu certinho!

Ele é bem simples e segue o processo básico do iogurte normal (receita aqui). Eu fiz com leite de coco para dar o gostinho que eu amo (atoron coco!) mas você pode usar qualquer leite vegetal que quiser.

Vale ressaltar que a consistência dele não é exatamente do iogurte normal. Ele fica mais pra um creme do que pra iogurte, mas como usei o processo de iogurte, vou chamá-lo assim mesmo. :)

Ingredientes

  • 500 ml leite de coco (ou qualquer leite vegetal da sua preferência, como leite de avelã (receita aqui) ou de amêndoas (receita aqui)
  • 1 copo de iogurte de soja biológico de 125g
  • 1 col chá de agar-agar
  • 100 ml de água
  • 3 col copa de coco ralado sem açúcar (opcional)

PRE-PA-RA

  1. Misture o iogurte com algumas colheres de sopa do leite vegetal, apenas para dissolvê-lo.
  2. Ferva 300 ml do leite vegetal e misture com o restante do leite em temperatura ambiente.
  3. Acrescente o iogurte de soja e mexa bem.
  4. Aqueça água a uma temperatura de aproximadamente 50º e misture o agar-agar.
  5. Deixe repousar por cinco minutos e depois acrescente a mistura ao leite.
  6. Coloque o coco ralado, caso deseje.
  7. Deixe repousar em um local quente e escuro (por exemplo dentro do forno desligado) por aproximadamente 12h (eu fiz de um dia para o outro).

No dia seguinte, faça seu iogurte como quiser. Eu misturei chia, goji berry e umas framboesas. Como este iogurte não tem doce, eu sugiro mel ou açúcar de coco para adoçar. Coma sem culpa!

Se alguém aí tiver alguma sugestão de receitas de iogurte vegano pra me ensinar, to aceitando!

Iogurte Vegano de Coco

Iogurte Vegano de Coco

Resenha: Geléia St. Dalfour

Resenha: Geléia Dalfour

Eu AMO geléias, mas elas contém uma quantidade tão ignorante de açúcar que eu sempre desistia de comer, toda vez que olhava pra uma.

Até que um belo dia, passeando pelo supermercado, vi uma embalagem linda exposta na prateleira. Cheguei mais perto e li “Apenas fruta” e “sem adição de açúcar” escrito. Peguei pra ver mais de perto e li “sem conservantes nem corantes” na parte de trás.

Não preciso nem dizer que ganhou meu coração à primeira vista, neam?

Gente, sério, eu viciei tanto na bichinha que lá em casa eu faço rotação dela. Cada vez compro de um sabor diferente já provei todos abapha

Até agora não provei nenhuma que não tenha gostado. Aliás, acho o sabor ainda mais gostoso do que da geléia normal! Segundo descrito no rótulo, esse método utilizado dispensa corantes ou conservantes, e também açúcar. É calórico? Com certeza, mas eu como sem culpa nenhuma.

Aliás, na geléia de cerejas pretas dá pra ver as cerejas ainda, olha que amor!!! <3 <3 <3

Aqui em Portugal dá pra encontrar em qualquer supermercado, grande ou pequeno, por € 2,99.

E fora que depois você pode usar as embalagens para guardar temperos, fica lindo!

Este post NÃO É um publieditorial quem dera, me liguem! é amor mesmo.

Resenha: Geléia Dalfour

Resenha: Geléia St. Dalfour

Da esq. para a dir.: sementes de coentro, folhas de louro secas, sementes de cominho e garam masala.